0

Ceremonial Kris

Dagger: 20th Century; Blade 18th Century

Indonesia/Malaysia

Steel, gold, silver, rubies, diamond, ivory.

Full Length: 67, 5 cm; Blade Length: 43, 5 cm

This notable ceremonial Kris reveals in all the applied techniques the virtuosity of the crafters.

It has a blade with a double edge in watered steel with a pamor, pattern, with inlayed gold threads and an extremely rare floral engraving with 11 luk, or waves. Its manufacture is attributed to the 18th century.

The hulu, hilt, later applied in the 20th century, represents the monkey-god Hanuman and is incrusted with rubies, one diamond and other gems cut in cabochon.

The pendok, scabbard, structurally made of silver, has a chiselled decoration in vegetal motifs interrupted by the application of three ivory plaques which are distributed throughout the central body and the buntut or tip. These are sculpted in high-relief with scenes from the Hindu epic Ramayana.

The ensemble is enriched with the incrusting of gems.

The wrangka, ship, of the scabbard with a Bali style format, is also made of Ivory and presents a similar kind of work. All the interpretation of its content is a part of one of the thematic text entries in this edition.

In Istanbul’s Military Museum there is a similar example, although of inferior quality, an offering from the Indonesian president to his Turkish counterpart.

Bibl.: Cameron Stone, 1999, p. 382-394

KRIS DE CERIMÓNIA

Adaga: séc. XX; Lâmina: séc. XVIII

Indonésia/Malásia

Aço, ouro, prata, rubis, diamante , marfim

comp. total: 67,5 cm; comp. lâmina: 43,5 cm

Este notável Kris de Cerimónia, revela em todas as técnicas aplicadas na sua execução, o virtuosismo dos artífices.

Exibe uma lâmina de duplo gume, em aço damasquino com um pamor, padrão, contendo filamentos de ouro embutidos e um raríssimo gravado floral com 11 luk, ondas. A sua manufactura está atribuída ao século XVIII.

O hulu, punho, aplicado posteriormente no século XX, representa a figura do deus macaco Hanuman e está cravejado de rubis, um brilhante e outras gemas talhadas em cabochão.

O pendok, bainha, estruturalmente realizado em prata contém uma decoração cinzelada em relevo de motivos vegetalistas, interrompida, pela aplicação de três placas de marfim que se distribuiem pelo corpo central e pelo buntut ou ponteira. Estas, estão esculpidas em alto-relevo com cenas do épico Hindu Ramayana.

O conjunto é enriquecido com a incrustação de gemas.

A wrangka, nau, da bainha com um formato ao estilo do Bali, também é de marfim e apresenta igual tipo de trabalho. Toda a leitura do seu conteúdo, faz parte de uma das entradas de texto temático da presente edição.

No Museu Militar de Istambul existe um exemplar semelhante, embora de inferior qualidade, uma oferta do Presidente Indonésio ao seu congénere Turco.

Bibl.: Cameron Stone, 1999, p. 382-394

Click to share thisClick to share this